terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Registro de Viagem à Costa do Marfim: Relato III - 1º Culto

Registro de Viagem: Costa do Marfim

Relato III – Primeiro Culto – 13 de Dezembro

Fui ao culto na igreja batista local. Um homem da igreja que mora perto passou por aqui e me levou com ele. Ele é professor de alemão na Université Codody, a grande universidade pública do País. Algo como a USP é para nós. De qualquer forma, frère Abraham (irmão Abraão) levou-me à igreja.

O culto vai das 07h às 10h da manhã e é de uma liturgia bem animada. Chega uma hora que as pessoas vão à frente e dançam, mas não a dança sensual latina de requebrar os quadris a que nós brasileiros estamos habituados e sim uma espécie de sapateado. Os velhinhos fazem roda e dançam juntos. Julguei se tratar de uns batistas meio pentecostais e já imaginei o que estava por vir.

Tive nojo e vergonha. Não do culto, das pessoas ou da doutrina. Nojo de mim. A pregação do pastor foi tão firme quanto às de Paul Washer, John MacArthur ou do Pr Nogueira. Não posso julgar minúcias da doutrina, pois não compreendi 100%, mas o Espírito Santo fez questão de me fazer compreender a firmeza e o conteúdo geral da mensagem, que foi a gratidão. O pastor exortou os irmãos a serem gratos. “Sejam gratos a Deus por tudo! Estar vivo já é motivo suficiente para ser grato!”. O pastor falava isso a gente que, como ele, sobreviveu uma guerra que durou uma década e acabou a menos de 2 anos, que não possui água encanada, que vive em choças, que padecem de infra-estrutura precária e um governo de corrupção generalizada. E eu reclamando na véspera que o banheiro não era do modo que eu queria.

Vim à Costa do Marfim com o desejo de poder auxiliar igrejas e missionários. Se há alguém aqui que não está ensinando nada e aprendendo muito, esse sou eu. Um povo tão carente, mas ainda assim tão grato a Deus. Como Edwards em Pecadores nas Mãos de um Deus Irado, o pastor fez questão de lembrar que somente continuamos a respirar única e exclusivamente pela vontade de Deus. Essas pessoas não simplesmente conhecem essa verdade, elas VIVEM essa verdade. Que Deus as abençoe. Quanto aos missionários, não há nenhum missionário estrangeiro por aqui. Pelo contrário, eles MANDAM e SUSTENTAM missionários. A igreja possui 4 pastores missionários nos EUA. Glória a Deus.

Eu sou tão estúpido, mas tão estúpido, que meu devocional naquele mesmo dia englobou Mateus 7, que fala sobre o juízo temerário. Mesmo tendo lido essa passagem no próprio domingo, chegando à igreja, julguei. Ah, meu Deus, tem misericórdia de mim, porque sou o mais miserável dos pecadores. O que me fez ter mais nojo de mim mesmo foi que após o culto, as mesmas pessoas que eu havia julgado vieram calorosamente me abraçar e me beijar. As crianças correram até mim pra me abraçar com a graciosidade que somente as crianças têm.

Após isso, frère Abraham me conduziu de volta a minha casa, mas antes passamos pela casa dele. Ele e sua esposa possuem cinco lindas crianças. Aliás, que povo bonito é o povo marfinense! Gente alta e forte! As crianças, mesmo com as condições sanitárias vigentes, são as coisas mais lindas. Voltei pra casa e tomei o achocolatado com água quente e um pedaço de pão e fui cochilar.

Acordei e as crianças estavam estudando, pois amanhã (segunda-feira) têm aula. Fui lá fora – onde estudavam – e ensinei-lhes a multiplicar. Mostrei também minha HP12C e elas olhavam com aquela cara de “ooooohhhhhh”. Brincaram com ela por um tempo (a calculadora começou a enguiçar, suspeito algumas quedas no chão), tirei fotos e chutei uma bola com elas pra lá e pra cá. Imagino que devo ter um baita sotaque bizarro. A tudo que fala todo mundo capota de rir. É mais ou menos assim:

EU: Bonjour!

PESSOA: HAHAHAHAHHAHAHAHAHHAHA

ou

EU: Salut! Ça va?

PESSOA: KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

E por aí vai.

De qualquer forma, sinto que minha compreensão e minha fala do francês estão melhorando. Agora, no lugar de repetirem mil vezes o que querem me dizer, só repetem umas 500 vezes. E eu, para ser compreendido, não preciso mais fazer gestos escandalosos tão típicos do lado materno da família (certo, mãe?).

À tarde fui a um estudo bíblico de um evangelista na casa de um irmão da igreja. É pertinho daqui. Ele pregou sobre 1 Samuel 7:3 e, terminado o estudo, agradeci ao dono da casa pela hospitalidade e voltamos. No caminho, encontramos outro evangelista. Combinamos de nos encontrar na terça após o culto (18h-20h). Ah, outra coisa, fiz um amigo na igreja e ele fala inglês. É um jovem também e um rapaz muito distinto e gentil.

Agora chega a noite e em pouco tempo vou me preparar para banhar-me e recolher-me. Amanhã é o primeiro dia de trabalho e estou ansioso para começar.

Agradeço a todos os que têm orado por mim. Orem também por esse país e essa boa gente.

“Car Dieu a tellement aimé Le monde qu’il a donné son Fils unique, afin que tout homme qui croit em lui ne meure pás mais qu’il ait La vie éternelle” – Jean 3:16

4 comentários:

Sara de Cerqueira disse...

Que bom que você encontrou uma Igreja Batista!
É tão bom estar no meio de irmãos!

Je t'aime a la folie!

Ligia disse...

Acho que o pessoal tá rindo pq nunca viu alguém tão lindo! ;)
To muito feliz que vc encontrou essa igreja!
To morrendo de saudade!

Natan Cequeira disse...

Tbm to morrendo de saudade minha linda! Te amo!

pentecostemissoes disse...

por favor, entre em contato comigo, meu msn é presbitero2@hotmail.com e meu email é joabesantos2@hotmail.com
preciso de sua ajuda, e por favor o mais rápido possivel.