segunda-feira, 19 de abril de 2010

Teórica da Coca-Cola


Já vi o Teórico do Tomate, agora vi situação semelhante. As ocorrências podem estar separadas uma da outra por 16 meses, mas a primeira deu-se no Master da Frei Caneca; a segunda, no Dia da Augusta. Ou seja, a uma quadra de distância uma da outra.

Então, estava eu na fila do Dia para pagar o leite que eu estava comprando quando o "casal" que estava na minha frente na fila (era um par de lésbicas) pagou com uma nota muito graúdo e o caixa não tinha troco. "Um minutinho só que eu já troco essa nota pra você" - disse o caixa. Contudo, no lugar de dar a nota pro caixa ir pegar cédulas menores, a fêmea-alfa interrompe o ato de passar a nota pro rapaz e ergue-a com sua mão esquerda enquanto declara: "Está vendo? Vivemos em função disso?!".

Pequena observação. Como eu sei que ela era a fêmea-alfa? Pelas roupas, pelo boné virado pra trás, pelas três argolas no nariz e por fazer os movimentos com a mão direita de "coçar" o que ali existiria caso houvesse nascido com um cromossomo Y.

Continuando; em seguinte, ela pára de "coçar", aponta para o dinheiro e olha para a fila to get the message out e repete com mais ênfase: "em função DISSO?!". E ainda que completa: "Que asco desse LIXO!".

O ambiente ficou um pouco estranho quando ela começou a se manifestar. Então, para descontrair eu - o próximo da fila - emendei logo após seu manifesto: "Concordo, moça. E como estou particularmente caridoso hoje, estou aceitando lixo alheio." O caixa riu. O tiozão atrás de mim riu. Mas ambos cessaram quando viram o olhar fuzilante que a moça do escroto bogus nos lançou. Por minha vez, fico irremediável quando estou de bom humor e ri baixinho de minha própria piada ("hehehe"). E à visão da reprovação da metida a comunista, não me agüentei ("HAHAHHAHAHAHAHA").

Troco recebido, ela e sua parceira foram embora resmungando "filhote do capitalismo" e "idiota consumista". Os demais eu não entendi. Só sei que eu verti lágrimas de riso quando o caixa correu atrás delas e alcançou-as na metade do estacionamento gritando "Moça! Moça! Esqueceu sua coca-cola!".







2 comentários:

cancelier disse...

Muito bom. Ela realmente não poderia ter esquecido sabão em pó ou um saco de arroz, ou outros itens de uma cesta básica, tinha mesmo de ser uma Coca-Cola.
Esses pseudo-hipongas são mesmo seres muito divertidos.

Gen disse...

hahah hilariante. Grande cerqueira! Cada hora em um lugar do mundo, está no Canadá? Minha mulher morou 1 ano aí (lá?).

Abração,

Rui